18 3901 8000

Notícia

Início » Notícia

07/02/2017 17:09

Santa Casa de Presidente Prudente nomeia comissão em busca de credenciamento para transplante de medula

Santa Casa de Presidente Prudente nomeia comissão em busca de credenciamento para transplante de medula

Uma reunião realizada na última quinta-feira (02) na Santa Casa de Presidente Prudente discutiu a viabilidade de um convênio com Hospital Regional do Câncer para o transplante de medula. A instituição busca o credenciamento junto ao Ministério da Saúde para a realização do procedimento. Uma comissão foi criada para o planejamento e estudos do assunto.

 

Esse segundo encontro teve a participação de procuradores, promotores, juízes, representantes da sociedade civil, médicos e diretoria da Santa Casa, Banco de Olhos e Hospital Regional do Câncer. O objetivo foi avançar  com o planejamento para a implantação do transplante de medula no oeste paulista. “Presidente Prudente e região necessitam deste tipo de atendimento, por isso é importante discutir a melhor maneira para a viabilização do serviço”, afirmou o presidente do Banco de Olhos, Irineu Sesti. Hoje as pessoas que precisam passar pelo transplante têm que se deslocar até outros centros como: Jaú, Barretos, Ribeirão Preto e São José do Rio Preto. O que muitas vezes gera dificuldades financeiras e emocionais para o paciente e família.

 

Uma das opções apresentadas foi que a Santa Casa, que já tem um  plano de trabalho em análise no Departamento Regional de Saúde (DRS-XI), firme um convênio com a Fundação do Hospital Regional do Câncer. Mas como há vários aspectos para serem analisados,  foi criada uma comissão com representantes da instituição, Fundação Regional do Hospital do Câncer, Banco de Olhos e médicos do corpo clínico da Santa Casa. A primeira reunião foi marcada para o dia 22 de fevereiro. “É importante buscar esse serviço que não existe na região, de preferência com o atendimento pelo SUS (Sistema Único de Saúde) e também para convênios”, explicou o diretor técnico da Santa Casa, cardiologista Carlos Eduardo Bosso. Os promotores e procuradores que participaram da reunião enfatizaram que a região não pode correr o risco de perder o serviço. “É necessário que tudo seja bem planejado, para evitar qualquer tipo de problema” afirmou o promotor de justiça, Mário Coimbra.