18 3901 8000

Notícia

Início » Notícia

30/10/2015 13:45

Atendimento rápido do AVC pode fazer toda a diferença

Atendimento rápido do AVC pode fazer toda a diferença

 Na semana Nacional de Combate ao AVC (acidente vascular cerebral), a Santa Casa de Presidente faz um alerta à população sobre a importância de um atendimento rápido.  Um minuto perdido pode ser fatal ou significar um atraso na recuperação. Por isso,é importante socorrer o indivíduo que pode estar tendo um AVC o mais rápido possível para evitar sequelas.

 Em 2014, a Santa Casa atendeu 387 casos de AVC, neste ano já são mais 335. As estáticas apontam que a doença é a segunda maior causa de morte acima dos 60 anos no mundo. A gravidade depende do local do cérebro afetado e da extensão do dano provocado. Segundo o neurorradiologista intervencionista, Leandro Kefalás Barbosa, o tempo entre o começo dos sintomas e o atendimento inicial faz toda a diferença. As chances de uma pessoa sair sem nenhuma consequência ou com sequelas leves serão maiores se houver agilidade na chegada ao hospital, no diagnóstico e no atendimento.  Dependendo do tipo de AVC pode ser administrado para o paciente um medicamento para dissolver o coágulo ou tratamento por meio de cateterismo cerebral no setor de hemodinâmica.

 A aposentada Derci Siane Batista de 65 anos teve um AVC isquêmico por entupimento dos vasos que levam sangue ao cérebro. Ela está internada há nove dias na Santa Casa. “Minha mãe acordou com uma dor de cabeça intensa, ficou sem senso de direção, ela imaginou que fosse uma crise de labirintite, mas na verdade eram os primeiros sintomas do AVC”, explica a filha da paciente, Aline Emanuele Siane. A aposentada está em recuperação, ainda não consegue andar e a visão de um dos olhos ficou comprometida.  "É difícil ver uma pessoa ativa como minha mãe agora com estas sequelas, mas ela está reagindo bem", finalizou a filha. 

 De acordo com neurorradiologista Kefalás, para o sucesso do atendimento são essenciais equipamentos e profissionais preparados pra receber pacientes com sinais de AVC. Na última quarta-feira (28),  a Santa Casa realizou um treinamento de capacitação para os técnicos, enfermeiros, fisioterapeutas e médicos. A palestra foi ministrada pela neurologista Maria Theresa Castilho Garcia de Santana.

 É importante sempre as pessoas ficarem atentas a alguns sintomas do AVC como fraqueza e perda da força em apenas um lado do corpo, perda da força da musculatura da face (boca torta), confusão mental, dificuldade para falar, andar e enxergar e dor de cabeça intensa.  Na presença de qualquer um dos sintomas citados, é importante procurar um pronto-socorro imediatamente. Lembre-se que quanto mais precoce for detectado, maiores serão as chances de cura ou menores poderão ser as sequelas.